“Se você pensa que Mick Jagger ainda estará por aí tentando ser um rock star aos cinquenta anos, então você está redonda, redondamente enganado”.

“The Doors? Jim Morrison? É um palhaço bêbado posando como um poeta!”

 

“Não penso que alguém possa realmente explicar o rock ‘n’ roll. Talvez Pete Towshend”.


No mês do rock, Quase Famosos segue sendo uma verdadeira aula sobre rock. Jornalistas, bandas, groupies, brigas, está tudo lá, muito inspirador. Vendo o filme, tem gente que decide virar jornalista, sonhando em cobrir turnês, escrever sobre música. Também dá vontade, claro, de ter uma banda de rock, sair por aí num ônibus tocando em várias cidades, curtindo, fazendo da vida uma festa. Tem menina que até se pilha em virar groupie ao assistir o filme (não recomendamos!).

Quase Famosos também fez uma geração conhecer a música “Tiny Dancer”, após essa cena clássica da galera cantando junto no bus-tour.

Se você tá muito fora do Planeta Terra, a história narra a vida dum moleque de apenas 15 anos que consegue emprego na revista Rolling Stone para acompanhar uma banda (a fictícia Stillwater) numa tour pelos Estados Unidos. E o mais bacana é que o garoto é baseado no diretor Cameron Crowe, que quando adolescente escreveu mesmo pra revista numa turnê do Led Zeppelin.

Além do filme ser fantástico, a trilha é sensacional. Vale cada minuto!