Framboesa amarga

Essa semana rolou mais uma edição do Framboesa de Ouro, que desde 1980 “premia” os piores filmes e atores do ano nos EUA. E quando a gente acha que algo já está numa pior, ele consegue ficar pior ainda! O mais recente filme do Adam Sandler, Cada um Tem a Gêmea que Merece, bateu o recorde com 10 dos 11 prêmios em que estava indicado. Ele conseguiu a façanha de ser o pior ator e atriz AO MESMO TEMPO, já que no filme o ator também faz o papel da “mulher” que é sua “irmã gêmea”. Vai ser difícil quebrar a marca, mas ao longo dos anos outros filmes bem ruins já chegaram próximo. Confira um Top 5 da ruindade!

Destino Insólito: o diretor inglês Guy Ritchie tinha o ótimo Snatch no currículo, mas resolveu fazer essa bomba em que a sua esposa, nada menos que Madonna, passa o filme todo numa ilha deserta num esfrega-esfrega com um italiano. Horrível, no mínimo.

Instinto Selvagem 2:  o clássico filme dos anos 90 fez a alegria de muito moleque. Mas essa continuação quinze anos depois, com uma balzaca Sharon Stone, provocou somente duas horas de vergonha alheia pra todos que viram.

Wild Wild West: não dá pra saber o que foi pior nessa mistura de faroeste com ficção científica, se a trilha sonora, a atuação de Will Smith ou o figurino nonsene.

A Reconquista: o filme era tão ruim, mas tão ruim, que a gente nem lembra mais da história, só lembra da maquiagem de causar pesadelo do John Travolta. Ficou mais feio do que já é.

Mulher Gato: depois de Michelle Pfeifer ter marcado época como a Mulher-Gato em Batman: O Retorno no anos 90, alguém teve a ideia malandrinha de fazer um filme em que a “catwoman” fosse uma atriz negra, algo totalmente diferente dos quadrinhos. A bomba sobrou pra Halle Berry, que deve ter se arrependido assim que o filme foi lançado. Deprimente.

Bônus: Sylvester Stalone e Madonna são os campeões da “premiação” individualmente. Ele já venceu a disputa de pior ator 10 vezes, e ela nada menos que 8 a pior atriz.

Soundtrack: Grease

Muito antes de Glee fazer sucesso com versões e dancinhas da hora, Grease já fazia isso como o grande fenômeno de 1978 – no cinema e nas rádios. Como uma combinação de roteiro e coreografias, o musical foi quase como os primórdios do vídeoclipe, com músicas exclusivas do filme recheando determinadas cenas. Falando em recheio, saca os pés da galera nessa cena antes do basquetão.


A história é muitíssimo conhecida de quem nas férias vai pro litoral, arruma um parzinho romântico no verão e depois tem de se separar na volta pra cidade. Por aqui é o “amor de praia não sobe a serra”, uma adaptação da expressão gringa “summer love doesn’t last”, vivida em Grease pelos personagens de John Travolta e Olivia Newton-John.  Pra sentir a vibe do clima juvenil anos 60, com muita música interagindo com a história, saca essa passagem com “Summer Nights”.

Além do filme, que tem uma história bobinha, mas que já rolou com quase todo mundo, a trilha sonora de Grease rendeu um monte de sucessos. Na Inglaterra foi o disco nº1 por 3 meses, e nos EUA, durante todo “verão do amor” de 78.  Essa aí debaixo alcançou o topo nos dois países e inúmeras regravações pelo mundo, como a “Tô Ligado em Você” de Sandy & Junior.  Aliás, por mera coindicência, o casinho do Travolta no filme se chama Sandy. Grease não merecia essa!